5 de jun de 2017

CINZAS DE NÓS

sem pressa
vou te beber
em meus cálices
de prazer

sem pressa
vou te dar
minha noite
de tantos devaneios

sem pressa
desnudo
teu corpo

e assim
me aposso
do teu sentir
do teu prazer

e assim
beijo tua face
vermelha

bebo
do teu ventre
o mel ácido do teu gozo

sem pressa
até que a noite acabe
e nós dois
possamos de novo
e novo
renascer
das cinzas
que sobraram de nós