18 de mai de 2017

SOB CINZAS

sobrevivo
ainda
andando
sob cinzas

ainda
bebo café amargo
na xícara da vida

vou
porque é o que
me resta
malas vazias

navalhas
cicatrizes
sangue ressecado
e ainda assim
sobrevivo