18 de mai de 2017

RASGOS

rasgo
tuas lembranças

rasgo
meu asco

minha repulsa
da pele morta

olho
olhares vazios

quebro
toda rotina
mato teu ego
me suicido
no teu silêncio

reviro
escombros
cinzas

e acho tua morte minha