26 de jan de 2017

VULNERAVELMENTE

eu
tão vil
que sou
tão depende
desta beleza tua
me consome

admiro
calado
teus detalhes todos
teu jeito
de respirar
como andas
como vives
como inspiração
em meus dias

eu
tão irracionalmente humano
me perco
nas tuas curvas
no teu sorriso
e no gosto
do teu beijo

eu
tão teu
tão vulnerável
tão asssumidamente
diante
de ti