13 de jan de 2017

VOU

vou
beber-te
e depois
vomitar-te-ei
sobre
minhas poesias

vou
sugar teus seios
sem pressa
e me perder
nestes teus fetiches

depois
vou te cuspir
nos meus versos
sem sentido
e deixar
que fiques ali
à sombra
de minha alma

vou
rasgar
tuas anáguas
penetrar-te-ei
a pele
e tocar tua alma

depois
deitarei
exausto
sobre teu corpo
suado
e beberei
cada gota do teu amor

amar-te-ei
em noites
sem dono
e far-te-ei
minha
para sempre