10 de nov de 2017

EM DEMASIA

eu
nunca
tive
medo de sentir
demais

eu sou
assim
feito de exageros

amo
em demasia
quero
em demasia
e sou
demasiadamente
um pouco de tudo

reflexo
de todos os sentidos

eu
nunca
esperei
sentado na varanda
da minha vida

sou rua
alamedas
esquinas

amor
em excesso

SENTIDOS

faz-me teu
faz-me voar
sob tua alma

que tu
seja flores
em meu caminho

e amor
em meus tantos
destinos

faz-me teu
deixa-me
tocar teu coração

que tu seja
meu vento
de tantas inspirações

serás
minha flor
e eu
tua borboleta

28 de out de 2017

AGONIA

em mim
está agonia
esta vontade
de ficar
em mim recluso
sem forças
para reagir
sem poder
desistir
do que não quero
sem poder
deixar
para trás
o que me faz
essa agonia
de estar
onde não quero
estar
essa tristeza
de ter que ir
querendo ficar
em qualquer lugar
em mim
o desespero calado
implícito
mortal
calar
querendo gritar
gritando
quando o certo
era não mais
mais nada
em mim
o desterro
o descaso
de ir
querendo ficar

NOSSO AMOR

bom
ainda
te reencontrar
viva em mim

esbelta
toda
linda e formosa

como
sempre
misteriosa
intacta
forte
e ainda assim
delicada

bom
poder te sentir
e saber
que nosso amor
ainda
está incólume

vivo
protegido
nosso

de um lado
eu poeta
do outro lado
tu, poesia...

MADRUGADA

ama-me
madrugada
como antes

deixa-me
escrever
em teu ventre
minhas poesias

deixa-me
madrugada
adormecer em teus fartos seios

ama-me
sem pressa
e devolve
o que o tempo
tirou de mim

faz-me teu
amante
mais voraz

teu súdito
ama-me
no silêncio das palavras mortas
e deixa
que o amanhecer
e o dia
sejam de momento
meu sepulcro



BEIJA MINHA BOCA

vem
enche
teus lábios
de batom
e me beija

enche
tua boca de saliva
e mata
minha sede
de tua língua

vem
abraça
meu corpo
cansado de vida
e enche
de amor
minha'lma

vem
faz de mim
teu leito
e ama
todo o amor
que te dou

assim
ficarás em mim
e para sempre
ficarei em ti

vem
enche de batom
teus lábios
e me beija

27 de out de 2017

DIFERENÇAS IGUAIS

quem
é igual
a quem

em que
em nada

únicos
ainda que loucos
ou normais
fanáticos
ou solitários

amantes
ou amados

diferenças iguais

sem pele
sem cor
faces

correndo
rastejando pelas ruas
esgostos
casas
palácios

iguais
em que
onde

OLHARES

olhares
em bares

bocas
anônimas

não há paixão
nem amor
nem desejo

olhares
interpretações
vulgares

noites vazias
camas
lençóis rasgados

copos
vazios
cigarros

corpos
sem roupa
olhares
beijos na boca

sexo
sem paixão
sem amor


MENTIRAS

gosto
das mentiras
que invento

gosto
das mulheres
perfeitas
que escrevo
em meus poemas

gosto
dos romances
sem pé
e cabeça

gosto
dos meus labirintos
e dos meus
tantos porres
de água mineral
suco
ou qualquer refrigerante

gosto
de mentir
sobre os super-hérois

sobre o amor
a paixão
sobre tudo aquilo
que invento

26 de out de 2017

É PRECISO

é preciso
gritar
para não enlouquecer
toda
alma
precisa
deste escape

é preciso
correr
não dá para ficar
parado

os inimigos
te engolem
a vida te massacra

é preciso
cuspir
o veneno

deixar
que tudo escorra
para fora
abrir
a torneira

é preciso algo que lhe
de prazer
nem que o prazer maior
seja morrer

PARASITA

jamais
serei
parasita
desta minha vida

não
posso ficar
parado
olhando
minha vida
passar
por mim

não
posso deixar
que o destino
conduza minha vida

tenho as rédeas
em minha mão
sei para onde ir
e mesmo que me falte
forças para seguir
continuarei
a remar

jamais
ficarei
olhando
os pássaros
sem fazer nada
a não ser voar
ao seu encontro

VOU TE ABRAÇAR

vou
te abraçar
até que
seu corpo
se fundir
como meu

até que eu
possa respirar
através
de seus pulmões

vou
te abraçar
e deixar
em meu corpo
teu cheiro
as marcas dos teus poros
em minha pele

ficarás
em mim
e parte
de mim
em ti

para que me sintas
quando a saudade apertar

DOR

não fale
que conhece
minha dor
que passou
por este caminho
por este tormento

nenhuma dor
é igual
a nenhuma outra dor
nenhum
caminho
é igual
a outro caminho

nenhuma palavra
proferida
nenhum amor
quicá uma dor

não me fale
que sabe de mim
nem me indique
remédios
quero apenas o silêncio
que também me dói a alma

FICAR

quero
apenas
ficar
onde estou
vivendo
meus silêncios
e esta minha dor

quero
apenas
o barulho
do vento
batendo a minha
porta

se eu fosse ele
o vento
ficaria mesmo
do lado
de fora
não sou boa companhia

quero
ficar
entre meus papéis
em branco
e a poeira que se acumula
em mim
todos os dias

quero
apenas
ficar com o resto
que sobrou de mim


24 de out de 2017

DE REPENTE

de repente
a gente
gosta
a gente
quer
a gente
sente

de repente
coração dispara
boca resseca
mãos ficam suadas

faltam
palavras
borboletas
fazem bagunça
e tudo
dentro de nós para
de funcionar

de repente
a gente
se perde
pensando
e sentindo tudo demais
quer ir
quer fugir
e se refugiar
nos braços que abraçam
e nas bocas
que se beijam

de repente
o corpo pede o corpo
e alma
chama a alma

22 de out de 2017

HOJE

hoje
acordei
com uma vontade
enorme
de não acordar
eu não
queria morrer
não
ainda existe
vida demais em mim
e muita coisa
para se fazer
muitas árvores
para serem plantadas
e muitos livros
para serem escritos

hoje
acordei
querendo ficar
exatamente onde
estava
sem perspectivas
ou expectativas
queria
ficar ali
coberto até os olhos
desligado de tudo
sem pressa
e sem nenhum porque

hoje
pedi
que tudo passasse
em câmera lenta
que o tempo
fosse generoso
e ficasse ali
deitado
entre tantos lençois

não queria
fazer nada
apenas
não pensar
naquilo que não quero fazer

21 de out de 2017

INTIMISTA

deixa-me
acreditar
em tuas mentiras

deixa-me
ser intimo
desta tua alma

deixa-me
conhecer
os teus caminhos

deixa-me
em teus cantos escuros

intimista
destas
tuas ilusões

dançaremos
despojados
de tudo
ao ritmo descompassado
de corações
que já
não se conhecem mais

DAQUI A POUCO

daqui
a pouco
não serei mais
nada

pedaço
de papel
amassado
no canto da sala

meus cds
estaram quebrados
e haverá
pó em tudo o que um dia
foi meu

meu amor
irá chorar
as lâmpadas
do meu caminho
apagadas

daqui
a pouco
não haverá
nem lembranças
nem saudades

e ainda
assim
meu amor
irá chorar

de saudade
de desamor

NOITES

fico
me remoendo
em tuas noites
e em teu escuro

fico
rondando
suas sombras
e alimentando-me
dos teus sonhos

fico
na tua inércia
no teu descaso

nas ruas
contra-mão
nos becos
sem saída

fico
feito mariposa
em busca de luz

fico
no vácuo
no silêncio
nas tuas tantas noites
sem mim

LOUCURA


loucura
no teu olhar


fome
em teus gestos

e nisso
tudo
me escondo
e nisso
tudo
meu refúgio


na loucura
do teu olhar
o belo
o indecifrável
o mistério


na fome
dos teus gestos
partes
do que nunca serei
e neles
hei de ficar
recluso
em tua voz calada

nas noites
seremos
inteiros

e na morte
sós

NÃO POSSO

não posso
morrer
neste meu labirinto
não posso
me permitir
viver sem amar
sem a paixão que condena
sem o vício
que mantêm vivo

não posso
viver de rascunhos
nem de meias palavras
muito
menos de falsos amores

não posso ficar
querendo ir
não posso calar
com tantas palavras
pressas na garganta

serei
mais um entre tantos
mortos vivos

FRATURA EXPOSTA

eu sou
fratura exposta
ferida aberta
o que posso fazer
é proteger
o mundo todo de mim
isolar-me
em meus conflitos
e em meus
tantos
papéis em branco

eu sou
o desalento
o pecado
a incoerência

o que posso fazer
é ficar em meus espinhos
é deixar-me
ressecado
ao sol

é deixar
que qualquer chuva
me arraste

é deixar
que o mar
de tudo o que sinto
me afogue


TEMPO

o tempo
roubou
de mim
minha vitalidade
meu vigor
minha capacidade de amar

só não roubou
minhas memórias
meus crimes
meus pecados

o tempo
deixou todas as
feridas expostas
de algumas fez cicatrizes
de outras
eternidade

o tempo
machucou
e curou

passou e
ficou

19 de out de 2017

DETALHES TEUS

gosto
dos detalhes teus
em mim

do detalhes teus
espalhados
pela casa

gosto
dos detalhes teus
em tudo
o que faço

pelas ruas
nas estrelas
do céu da minha boca

gosto
do teu jeito
despojado
de gostar
gosto
deste teu jeito
avesso de amar

ainda
que saia
de mim
ficará em mim
todos os detalhes teus

17 de out de 2017

CLARIDADE



Não gosto
De sentar
E pensar
No que vou escrever
Gosto
Da claridade
Dos meus entendimentos
Preciso
Desta minha conexão
Com minha alma
Com meus sentimentos
Não gosto
Que forçar
Meus pensamentos
E escrever
Por escrever
Gosto das palavras
Com gosto
Com verdades
Rasgadas
Ainda que sejam sempre as mesmas
Gosto
Da claridade
Das minhas tantas noites
Mal dormidas
Não gosto de escrever
Quando não sinto nada
E ultimamente
Tenho sentido tudo
Menos nada

ABISMO




Há tempos
Venho caindo
Tentando me agarrar
Em nada

Há tempos
Este meu abismo
Vem engolindo
Tudo o que sou

Tirando
Tudo de mim
Fazendo com que me sinta
Assim
O próprio abismo

Quero parar de cair
Mesmo que morra estatelado
No chão
Melhor a morte
Do que está incerteza
Deste poço sem fim

Vivo
Caindo assim
Neste meu abismo de mim

11 de out de 2017

POÉTICAS

noites e mulheres
sempre exerceram sobre mim,
um profundo e amplo fascínio. O lado poeta
sempre aflorava e as poesias
fluíam por um rio de fortes correntezas... Dois seres misteriosos
e complexos... Profundos e sedutores...
A noite com o poder de hipnotizar, de acalmar, embriagar e abraçar
meus sonhos e desejos.
A mulher
com seus sentidos aflorados,
sua malícia, seus beijos lascivos, sua maldade,
seu perfume, seus pecados,
sempre fizeram de mim,
escravo.
Drogas
que eu precisava para escrever.
Iludido
e alucinado queria
que elas me dessem tudo
o que a realidade tirava de mim.
Mergulhava
nestas águas, convicto de que, por saber nadar,
não me afogaria.
Então,
o tempo foi passando
e o que me encantava. começou
a me causar desconforto,
medo e insegurança.
Elas passaram a ficar frias e já
não exerciam
o mesmo domínio e fascínio sobre
meus pensamentos.
As poesias
foram ficando escassas. O que era belo
se modificou...
As águas mornas
e reconfortantes me colocaram
a deriva.
Comecei
a me afogar nas águas
que eu conhecia...
Então vesti a triste armadura da realidade.
A noite
perdeu sua magia
e a mulher perdeu seu encanto
ou eu apenas,
depois de tanto tempo,
deixei que toda essa ilusão
não me cegasse mais.
Tratei
de colocar tudo em seu devido lugar.
As
noites
lá fora do meu mundo
e as mulheres
como poesias
que outros poetas iludidos,
iriam
continuar a escrevê-las...

9 de out de 2017

LUTO

meu coração
anda
descompassado
bate
sem ritmo
sem pressa

meu coração
está
de luto
pela flor
morta no meu jardim

ali
desfalecida
murcha
caída
sem a beleza que antes
era somente sua

ando
de luto
sem ver mais
a beleza
que havia

flores
morrem
pessoas
morrem
e sempre haverá
algo que fica

lembranças
vestígios das flores
mortas
do perfume
das pétalas

 

TRISTEZA

ando
triste
e essa tristeza
não tem mais fim
é como se faltasse
no meu dia a dia
um pedaço de mim

o sol
não esquenta
mais
nem o vento
refresca
nem a chuva aliva
essa minha dor

mas quem é que
se importa
cada um fechado
em seu próprio martírio
fechado
em seu próprio casulo

ando triste
sem vontade de seguir
vivendo
entre mentiras
e verdades
que o tempo me conta

nada mais
é igual
nada mais tem a mesma
graça
de antes

6 de out de 2017

MORTE

a morte
tem cheiro
tem nome

é destino
certo
coerência
incoerente

a morte
dá sinais
não titubeia
não sorri
não manda recados

a morte
ronda
anda nas esquinas
nos becos
nos desamores

a morte
conhece
corações
destinos

sem presságios
em silêncio
ressecando
deixando de ser


MENTIRAS

tu
conheces
bem
tuas mentiras

para mim
eram verdades
e eu segui
teus passos
sem medo

me expus
expus
aquilo que acredito
expus
o que pensava
e o pensava sentir

ilusão
minha
mania minha
de endeusar
a escuridão

agora
ficaram
tuas mentiras
como verdades
e minhas verdades
como mentiras

5 de out de 2017

DESAPEGANDO

seguiremos
em silêncio

orgulhosos
por natureza

seguindo
pelas ruas paralelas
famintos
e sedentos

seguiremos
entre nossas
verdades e nossas mentiras

desapegando
de sentimentos

seguiremos
distantes
vivendo
de incertezas
e ilusões

calados
cercados
de realidade por todos
os lados

UM DIA

talvez um dia
eu esteja mais
aqui

esperando tua voz
me chamar
esperando teu corpo
para eu amar

talvez um dia
não haja
mais a espera
e nem o desejo
só o vazio

talvez
um dia
você não me encontre
mais
em teu caminho

não haverá
mais poesias
nem meu barulho

talvez
um dia
você chore
o amor que eu lhe dei

ME DEIXA

por que
não me deixa
ir

por que
me manda
embora
depois
me chama de volta

por que
me deixa
quando também
fico em silêncio
e me afasto

por que
não confessa
que também me segue
que também
me olha
e também me sonha

por que
me deixa
pensar
tantas bobagens

me cerca
me doma
me laça
me encanta

por que
vai e volta
e deixa
e me chama de volta

TANTOS DIAS

tem dias
tantos dias
que veste
de silêncio
e o que oferece
é apenas
a sombra
deste teu sol

tem dias
tantos dias
que há nuvens
que pairam
tentando camuflar
teus sentimentos

tens dias
tantos dias
que não sinto
teu perfume no vento

então 
sigo
os rastros
do teu silêncio
para que não perca
nada de ti

tantos dias
ocos
e sem fim

MEDO

o que há
é medo

medo
do apego
medo
de gostar
medo
de entrar
e não saber sair

medo de arriscar
medo
de assumir
os desejos
e as vontades

o que há
é medo

medo
de confessar
medo
de se enroscar
medo
de ir e não saber
voltar

medo
de dizer sim
medo
que paralisa
que excita

medo

4 de out de 2017

SENSAÇÕES

de onde
vem
essas sensações

essas
sensações
que nos arrastam
por caminhos
quase
que intransponíveis

de onde
vem
essa vontade
esse querer

será
que tudo
isso
pertence
só a mim

será que é loucura
de todos os que escrevem
será
invenção
tudo o que o penso
sentir

essas sensações
que se arrastam
e ficam
e calam coração
e fazem os dias
serem eternos


ESQUINAS

hei
de te encontrar
nas esquinas
desta vida

hei
de te olhar
e sorrir
um sorriso que
não caberá em mim

hei
de te abraçar
um abraço
que jamais
teu corpo
ganhou

e assim
ficaremos
sentados
sem palavras
e sem entender
nada
nas esquinas desta vida

e teremos
todas as certezas
que nunca tivemos

INTENSO

é assim
que sou
é assim
que gosto
é assim
que amo
nada em mim
é pouco
ardo
feito pimenta
refresco
como água
amo todo amor
que posso
e quando
volto
nem mesmo
a luz me encontra

é assim
sou assim
errado
errante
amado
amante

cheio
de sonhos
e desejoss

cheios
de vida
e de um amor
que transborda em mim



POUCO SEI

pouco
sei
sobre quem és

nada sei
do teu passado
das tuas histórias
dos teus erros
medos

pouco
sei
por onde andou
quais
são tuas cicatrizes
mágoas
ou sei lá o que

pouco
sei
mas que importa
o que passou
por onde andou
quem amou
quem foi

ontem
deixando espinhos
em todos os nós

o pouco que sei
me basta
para que possa sonhar
teus sonhos
mesmo sabendo
que pouco sei
passou

VENTO


és
bela
linda
sensual
magnifica

és
o proibido
a provocação
a poesia

és
a água que refresca
o turbilhão
e o mistério
o desejo
e a vontade

és
mística
mágica
exuberante
poesia
madrugada

és
minha rua sem saída

EU SEI

eu sei
que gosta
de mim

sei
também
que pensa
em mim

mesmo
que negue
e vai negar
eu entendo
sei dos medos

dos tantos medos
que existem

mas eu sei
eu sinto
nas palavras
em cada palavra dita

me sente
e eu te sinto
sei
que pensa
em mim

porque já fomos
e voltamos
tantas vezes
e nunca ficamos
longe de nós

EM MIM

estás
em mim

no meu silêncio
nos meus pensamentos
na minha insanidade
no meu jeito
de querer
e de sentir

está nas minhas poesias
e nas minhas madrugadas
estás
nas músicas
que ouço
no vento que sopra
no sol
e nas tardes de chuva

estás
em mim
em tudo de mim
na minha culpa
e no meu pecado

estás
e estarás
em todas as primaveras

és semente
que o destino
plantou em meu jardim

POR QUE

por que
não podemos
sentar
num banco de praça
e conversar

por que
não podemos
andar
lado a lado
sem a preocupação
da vida
que fica
do lado de fora de nós

por que
não podemos
rir
dos nossos absurdos

amanhã
a vida
acaba
e depois restará
a saudade
e a lembrança

por que
não podemos
esquecer
por um instante
nossos problemas

amanhã
a vida acaba
e restará
o sopro de um momento
bom

SIGO

sigo
então
imaginando
o gosto
do teu beijo
o calor
do teu abraço
o teu despertar
e o teu dormir

já que não posso
imagino
o som da tua voz
o maciez da tua pele

os teus pés na areia
o teu jeito
de amar
tua respiração

sigo
escrevendo
poesias
que fazem voar

quem sabe
um dia
nos encontramos
no mesmo silêncio
no mesmo sonho

EU GOSTO DE VOCÊ

eu gosto de você
e nem mesmo eu sei porque
talvez
porque exista em você
algo
me remexe
com meus instintos

talvez
porque exista em você
algo
que acenda
o desejo de viver
ainda mais

eu gosto de você
e do que vejo
em você
e tudo aquilo
que imagino mesmo
sem saber

gosto dos cabelos negros
dos olhos
e do jeito de olhar
gosto do sorriso
das curvas sinuosas
do teu corpo
gosto da exuberância
dos teus seios

eu gosto de você
e gosto
de imaginar
que você também gosta
de mim
e sente o mesmo desejo

isso
é o que me faz
seguir
caminhando sem destino
e na deriva do teu mar

2 de out de 2017

BEIJO TUA BOCA






Em silêncio
Já beijei tua boca
Ah tua boca
No silêncio Do meu mundo
Quando
Estou só comigo
Sinto tua respiração
E colo
Minha boca na tua
Alucinado
Busco ávido tua língua
E na calma
Dos teus braços
Bebo calmo tua saliva
Em silêncio
Onde nem mesmo
Eu me escuto
Sempre beijo tua boca
Busco tua língua
E mato minha sede
Neste teu doce mel
Desta tua boca

Ah tua saliva