7 de nov de 2016

SILVIA HASS

estou
descalço
sem armas
ou armaduras
sem dor
que me doa a alma
estou
sozinho
nesta imensidão
de mundo
perambulando
por jardins
estranhos
procurando
rosas sem espinhos
estou
sem fome
nem sede
machucado
apenas
virei
andarilho
sem trilho
sem cais
só caos
cheio de amor
e pra que serve amar
escravo
do que sinto
descalço
vivo
e sem poder viver