16 de nov de 2016

SIDNEIA DIAS AGIA

se eu
ficar
sentado
naquele velho
estado
de inércia
os papéis
continuarão
em branco

se eu
ficar
vivendo
o marasmo
e o tédio
dos dias iguais
o tempo
fará de mim
ainda mais
prisioneiro
eu eu
ficar parado
esperando
que algo aconteça
nada vai
preencher
estes meus espaços vazios
eu preciso
de muita pouca coisa
muita poesia
deixar que a madrugada me embriague
e que qualquer coisa
me arraste
para fora de mim