19 de nov de 2016

MHELENA SOUZA

peguei
todos
os meus
papéis
minha tantas
poesias
meus dias
de glória

coloquei
tudo
numa mala
e sai
apressado
era peso
demais
para um pobre poeta
aqueles
papéis
que já gritaram
hoje calados
abri
aquela velha
mala
ao vento
e tudo
de mim
se espalhou por ai
mala vazia
leve
eu voltei
para dentro de mim
e recomecei
o nunca terá fim