18 de nov de 2016

LÊ LUCENA

onde
está
aquela
minha flor
de encantos

a flor
que me embriagava
a vida
onde
está
aquela flor
bendita
de encantos
a vida
sorria
a vida
não tinha aquela
mesma aspereza
cade
aquela minha flor
por que
roubaram-na de mim
agora
não sou nada
sou eco vazio