19 de nov de 2016

LANA MAIA

quero
morar
na ventania
de todos
os meus instantes

quero
ser a poesia
sem rima
crua
as avessas
quero
a disritmia
a taquicardia
quero
a boca seca
o coração disparado
quero
norte
e leste
quero
morar
na ventania
dos meus poemas
quero
o briho nos olhos
e a sutileza linda
do olhar