25 de nov de 2016

FORA DO PRUMO

É preciso saber que rumo tomar.
Calcular os riscos, as consequências.
Deixar guardado o coração e as emoções dentro de uma caixa lacrada.
Coração tem uma enorme tendência a cometer enganos.
Eu vivi isso na pele...
Hoje pondero mais meus atos.
Já não são mais impensados...
Imprevisíveis...
Ainda assim, cometo alguns deslizes...
Não é fácil se desligar do emocional...
Focar no eu... Praticar do desapego...
Hoje eu sou assim.
Sem planos ou expectativas...
Ia... Apenas ia...
Hoje, é o que direciona...
Mas ela, apareceu assim, do nada... 
Tem algo, que ainda não sei o que é... 
talvez seja mais uma das minhas tantas invenções... 
eu sempre vejo além... 
sempre imagino um alguém que não existe... como saber?
 alguns riscos são desnecessários... 
eu já conhecia o fim, mas as pessoas não são iguais ou são? 
Eu estava agarrado a minha zona de conforto... ela valeria o risco?
 e se não fosse nada disso? 
E se fosse mais uma alucinação e o meu desejo de inventar romances? 
Houve reciprocidade ou só gestos educados... 
eu queria descobrir... 
não dá pra ficar na beira do abismo... 
ou recuo ou mergulho...