7 de nov de 2016

DAJUDA OLIVEIRA

nunca
brinquei
de sentir
nunca gostei
que brincassem
com o meu sentir
e com o
sentir de alguém
sempre
corri
às vezes em todas
as direções
às vezes
por tantos labirintos
querendo
me fazer
entender
querendo
apenas que todos
soubessem
que só o sentir
vale à pena
sempre
senti
tudo em dobro
minha alma
ardia
a indiferença
de olhares
sempre
chorei
e ainda choro
por aquele que não ama
por aquele que não sabe amar