10 de nov de 2016

ADRIANA RIGO

eu fui
atrás
daquilo
que sentia

mergulhei
nos abismos
mais
profundos
bati
o pé
machuquei
a mão tentando
me agarrar
a nada
eu fui
atrás
de ilusões de corpos
e bocas sem ecos
mergulhei
em mares
rasos
bati
a cabeça
na areia
de um mar sem ondas
fui
atrás
e me desfiz
como as folhas
que o vento desfaz
nada à vale
ficar
ainda é o melhor lugar