25 de out de 2016

NOITE

a noite
não
é mais
aquela puta
me seduzia

a noite
se travestiu

agora
mora
em becos
onde ninguém entra mais

a noite
é o engano
mais sutil
é o veneno
que mata devagar

a noite
não é mais
tão bela

anda caida
pelas esquinas
embriagada
sozinha
solitária

a noite
perdeu a poesia
a magia
a inspiração

vaga
sobre seus escombros