22 de out de 2016

ÉS FICÇÃO

és
ficção

utopia
desejo
sem razão

és veneno
que mata
droga
que vicia

vento que refresca
o tudo
o nada

o pecado
o vazio
a desgraça

e ainda assim
em meio ao teu temporal
nado em teu mar
de nostalgia

és ficção
minha invenção
mais real
e nos meus sonhos
és minha
do meu jeito