22 de out de 2016

DA MINHA JANELA

fico
assim
olhando
o mundo
da minha janela

sinto
o vento
me acariciar
mas não deixo
mais que me arraste

sinto
o perfume
das rosas
mas não deixo
mais que envolva

sonho
agora
e não deixo mais
os sonhos
criarem asas

fico assim
em meio
a solidão
de poesias que talvez
nunca sejam declamadas
ou decifradas

nada mais
me encanta
a vida
tirou
a venda dos meus olhos

e o amor
deixou machucado
meu coração