3 de ago de 2016

DIAS DE PAZ

vivo
agora
dias de paz

sem ninguém
com dedos sujos
apontando meus caminhos

sem olhos
sem ruas

apenas
sobrevoos
rasos
pela superficie
de cada um que não vejo

vivo
dias
de pão e água
raras
borboletas

e mais nada
dias
e dias
de sobrevoos rasos