1 de ago de 2016

DESCREVER

palavras
já ditas
malditas

como numa
colcha
de retalhos

como numa noite
sem nada
sem madrugadas

os olhos fechados
o corpo
cicatrizes de nossos acasos

deixo
tudo rasgado
ao lado da lata do lixo

sem coragem
me despedaço
descrevo
o que não sinto

palavras
já ditas
malditas
e de mim
ninguém sabe nada

nem eu