2 de ago de 2016

AINDA SEMPRE

sempre
fui
de ver além

além
dos meus olhos
hoje cansados

sempre
fui de ver além
dos muros
e das minhas janelas

sempre
me projetei
me atirei
em precipícios
rasos demais

sempre
procurei
aquilo que eu já tinha