1 de ago de 2016

ÁGUAS TURVAS

nadei
em agua turva

nadei
em mares
sem correntezas

flutuei
tentando
me salvar

não me afogar
sobreviver
na imensidão
deste mar
de sentir

nadei
entre rochas
e monstros
da imaginação

sem porto
só caos