5 de nov de 2015

NADA SEI

não
sei
te gosto
mais
ou
te quero mais
do
que te gosto

talvez
todo
meu querer
seja
delírio
desta minha alma
que grita

não
sei
de devo
te querer
como te quero

melhor
te deixar
ir
para outras veredas

não
sei
se te agarro
se te devoro
ou se cuspo
e caio fora
das tuas incertezas
que também são minhas