1 de out de 2015

ALANA LAFAYETTE

vejo-te
como
estrela
que caiu
do céu
e vive aqui
perdida na terra

pode ser
estrela
não há como negar
o brilho
único
a magia
o encanto
és sim
estrela
de brilho único
raro
todo seu
intenso
não se pode negar
eu sei
ao te ver
que és estrela
vivendo
entre
nós
pobres mortais