30 de out de 2015

NO VAZIO


agora
fico
no vazio
da tua respiração
e no
extase
perdido
do nosso amor
que se foi
agora
fico
na lembrança
dos dias
que virão
fico
nos vestígios
daqueles
que já fomos
e não somos mais
agora
fico
nas migalhas
e nos reflexos
dos espelhos
quebrados
fico
agora
nas lembrancas
do passado
na xícara
do café amargo
em cima da mesa
da sala de estar
agora fico
no vazio
da tua respiração

SEM VOCÊ

eu
que não
me via
sem você
hoje
sigo

o meu caminho
não olho
para trás
nem olho
para o meu
céu
sem estrelas
apenas
sigo
eu
que não
me via
andar
por estradas
sem asfalto
hoje
caminho descalço
sem pegadas
sem vestígios
sem rastros
e sem você

NÃO RESISTO

não
resisto
a você
o que sinto
vai além
do meu peito
do meu coração
do meu sentir
nem mesmo
eu
dono de mim
entendo
como
me rendo
tanto a você
não
resisto
a seu encanto
ao seu desejo
de me ver
bem
só sei
que lhe
quero sempre
caminhando na mesma
direção
soprando
os mesmos ventos
de sempre
eu você
nesta nossa estrada
de valores
incertos
não resisto
ao teu amor
ao teu querer


1 de out de 2015

ALEXANDRA TAVARES

teu
sorriso
por si só
basta
mágico
ele aquece
acolhe
acalma
enobrece
dá vida
faz querer voar
faz querer bem
o bem que já se quer
teu
sorriso
por si só
faz
alegre o que se faz triste
faz
nascer a luz
onde havia
trevas
e dá
aos poetas
fontes
eternas de poesias

ALESSANDRA SIQUEIRA

nobre
sinto-te assim
nobre
culta
inteligente
fera
que arranha
aquela que não
se esquece
sinto-te assim
diamante
presa
na sua redoma
de cristal
inviolável
sinto-te assim
nobre
bela
fera
aquela que fica
aquela que deixa
no vento
vestígios
intocável
cheia de charme
beleza
nobre
fera
que arranha

ALESSANDRA MARINI

traduzo-te
meiga
aquele encanto
raro
de se ver
sente-se
apenas no vento sereno
que sopra
nas tardes
deste
Outubro
traduzo-te
bela
terna
dona
de uma meiguice
que
cativa
que
faz sorrir
viajar
querer
traduzo-te
poesia
dos poetas
que ficam por ai
enlouquecidos
querendo-te
escrever
nos muros
de tantos mundos
traduzo-te
poesia

ALANA LAFAYETTE

vejo-te
como
estrela
que caiu
do céu
e vive aqui
perdida na terra

pode ser
estrela
não há como negar
o brilho
único
a magia
o encanto
és sim
estrela
de brilho único
raro
todo seu
intenso
não se pode negar
eu sei
ao te ver
que és estrela
vivendo
entre
nós
pobres mortais

AGATHA DE ASSIS

teu
rosto
é poesia
obra
de arte
toque
mágico
de Deus
a mim
pobre
poeta
cabe
render-me
e dedilhar
palavras
que em vão
tentam
descrever a tua
beleza
sem tradução
és
poesia
obra atrevida do Criador
que te deu
toda essa rara beleza
de mulher

ADRIELY SANTOS

sempre
te
vejo
colhendo
minhas poesias

sempre
te
vejo
sorrindo
entre minhas
tantas palavras

sempre
te
vejo
versejando tua vida
bela
de menina
nas minhas
alamedas

sempre
espalhando alegria
e beleza

me fazendo sorrir
me fazendo lembrar
dos bons tempos
que não voltam mais...

ADRIANA MARTINS DIMAS

teu
sorriso
timido
lembra-me
o nascer
do sol
entre as nuvens
de todos os dias
quando
abro
a janela
deste meu mundo
sem cor
este
teu sorriso
é feito
sol
chega manso
cheio de encanto
e me devolve vida
perdida
e me faz
de novo querer viver
ah
este teu sorriso

ADRIANA AGUILAR

sempre
vejo
ali
teu sorriso
largo
aberto
franco
cheio de ternura
e encanto
deixo
tudo
o que há
de bom em ti
gravado
nesta
retina
cansada de tanta
mesmice
tua beleza
de rosa
me cativa
sempre
vejo ali
teu sorriso
tua alegria
e nela viajo
e nela me inspiro
e sobrevivo

ADRIANA NUNES

tento
não pensar
nem sentir
deixo
apenas
a caneta
deslizar no papel
para tentar
dizer
o que não sei
escrevo
então
a beleza
da mulher
que cativa
por si só
encanta
poesia em alto
declamar
deixo a caneta
falar
por mim
sem sentir
sem pensar
apenas
embriagar-me
por tua beleza de mulher

ELIS SANTOS


habitamos
o mesmo mundo
diferente
não nos falamos
apenas às vezes
raramente
nós olhamos
para mim basta
bom sempre
te ver
teu rosto ilumina
natural
tua beleza
serena
sem esforço
sem sacrifício
não nos falamos
às vees
só eu te vejo
para mim
basta
para que exista
poesia
já não sonho mais
sonhos irreais
para mim
nesta minha solidão
de um igual
e tão diferente ao teu
tua beleza
me basta