16 de ago de 2015

VILLER ALLAN POE

escrevo-te
como
quem tateia
um vaso
de cristal
sublime
delicado

escrevo-te
para que
fique
aqui
neste meu mundo
de tantos pensamentos

escrevo-te
em palavras
que conheces
melhor
que eu

sábio
que és
honra-me
aqui teu sentir
e teu saber
e eu
poeta
de incertezas
me curvo
diante de ti

e minha poesia
aqui
a ti
faz reverência