14 de ago de 2015

TUDO EM NÓS

gosto
quando
tua boca
flue

gosto
quando
teu perfume
fica

gosto
dos rios
que águas
transparentes

gosto
do gosto
o hálito

das mãos
de acasos
gosto
da música
que canta

gosto
das farras
das alegrias
escancaradas

dos beijos
dos tapas
e depois
gosto
do silêncio
que morre

gosto
quando
tudo em nós
flutua