17 de ago de 2015

TUA JANELA

olhe
esta
tua
vida
pela janela

fique
de fora
de tua
por uns instantes

olhe
as ruas
que passam

olhe o
tempo
que corre
inconsciente

olhe
tua janela
tuas flores
os bagaços
destas tua vida

olhe
abre as cortinas
ou feche
de vez
esta tua janela