5 de ago de 2015

TE SINTO

te
sinto
no vento
que não venta
te
sinto
nas ondas
do mar
inquieto
te
sinto
nas noites
sem sonhos
no silêncio
das ruas
no gatos
em cima dos telhados
nos uivos
solitários
dos cães
te
sinto
na distância
que se converte
em saudade
te
sinto
nas melodias
caladas
no suspiro
dos cegos
no desespero
seco dos aflitos
te sinto
nas pedras
soltas
do meu castelo
nos versos
que declamo
em tudo
o que desmorona
em mim
te sinto