16 de ago de 2015

SOU

sou
indigente
neste
teu amor
que sente

sou
vagabundo
andando
por este
teu universo
de sentidos

sou
pasmo
espamo
sou
confusão
martírio
teu delírio

sou
aquele
que perambula
buscando
tua sombra
teu perfume
teus cacos
tuas migalhas

sou
raso
nesta
tua imensidão
gota
partícula infima

sou do
amor
o amor
que em ti
nunca existirá