22 de ago de 2015

RUAS


eu
gosto
de andar
pelas ruas
e olhar
para os rostos
que desconheço
e ver
amargura
alegria
e tristeza
gosto
de olhar
para os
pensamentos
e imaginar
quais
são as
angustias
que lhe
afligem
o peito
e qual
é a alegria
que os fazem sorrir
gosto
de andar por ai
olhando
a beleza
das mulheres
que passam e encantam
e gosto
de ver
também
como o ser
humano
se tornou
este ser
degradante
mesmo assim
em tudo
em tudo ou quase
há poesia