6 de ago de 2015

RUAS MORTAS

as ruas
estão mortas
o que resta
são os sonhos
fragmentados
sonhos
de nós

as flores
foram roubadas
toda inocência
perdida
o que resta
são desejos
que passam

toda meiguice
agora
distante de nós
distante
do que fomos
e o que resta
são sombras
que vagam
ainda
vivas
por essas ruas mortas