28 de ago de 2015

PROSTRADA


às vezes
a vida
enrosca
parece que
anda e anda
e não sai
do lugar

às vezes
os pés
parecem
pesados
parece
tudo preso
amarrado

as mãos
perdem a força
o rosto
perde o sorriso
a vida
aquele gosto
de felicidade

parece
tudo
travado
a vida fica ancorada
neste cais
não vai nem
para frente e nem para trás

fica ali
parada
presa
amarrada