12 de ago de 2015

PASSOU

passou
veio
e passou
como
um vendaval
arrastou
minhas roupas
do varal
sujou
com folhas
meu quintal
e bagunçou
tudo
o que estava
calmo
em mim
passou
veio
e foi embora
levou
algumas poesias
minhas malas vazias
minhas culpas
e desculpas
cuspiu no chão
roubou
minhas flores
bebeu meu vinho
usou meu corpo
e foi
feito
ventania
que passa
sempre passa
estes temporais
em mim