23 de ago de 2015

NINGUÉM CONHECE NINGUÉM


ninguém
conhece
as lágrimas
de ninguém

ninguém
é capaz
de sentir
a mesma dor

cada
dor dói
de um jeito
diferente

cada
lágrima
tem um porque
ninguém sabe
ninguém

ninguém entende

cada um
na sua guerra
nos seus conflitos
silenciosos
em gritos
e vozes
caladas

dores
aflições
lamúrias