5 de ago de 2015

NÃO ME VEJO MAIS

não
me vejo mais
refletido
no espelho
quebrado
da penteadeira
sem quarto

não
me sinto
mais na loucura
do silêncio
quebrado
de um grito

sou
cacos
de um prato
quebrado

sou vidro
sem reflexo
sou sol
sem sol

nuvens
aliatórias
nuvens

não me vejo mais
nas poesias
que se vão

nos papéis
amassado
jogados
fora do lixo