12 de ago de 2015

NADA DE TI


te dei
minha saudade

te dei
minhas lágrimas
meu tempo
e minha coragem

e tu
fostes
meu fracasso
meu arrepio
meu próprio descaso

eu
te doi
sorrisos
e abraços
deixei
minhas portas
e janelas abertas

e tu
fechastes
por medo
teu coração
e eu bati
e eu chamei
implorei
para entrar

não tinha a chave

te dei
nas mãos
meu destino
minhas ruas
avenidas

e recebi
de ti
o vazio
o eco
as sombras
e os passos contrários
aos meus