10 de ago de 2015

MESMICE

fujo
agora
das mesmices
de todos
os poetas
apaixonados

da paixão
não restou nada
somente a podridão
deste coração
degenerado

não ouço
mais
aquilo que não quero
não escrevo mais
aquilo
que não sinto

fujo
agora
do romantismo chulo
destes tempos
modernos

do amor
de gaveta
da paixão
de instantes

não faço mais parte
disso
deixo em branco
os papéis sem poesia
deixo
na estrada
estes poetas
de acaso

fujo
corro
sumo
desapareço