1 de ago de 2015

LUA NUA

a noite
passada
a lua
se vestiu
de azul
eu não vi
há tempos
meus olhos
não vêem
o céu
ando
há tempos
cabisbaixo
trancado
em minha solidão
em minha
cela
de tantos
pensares
pesares
a noite
passada
a lua
despiu
seu alma
eu não vi
há tempos
não olho para o céu
não olho para nada
não vejo ninguém
minha cela
não tem janelas
nem portas
muito menos céu