5 de ago de 2015

HÁ TEMPOS

há tempos
não
moro
mais
na saudade
que não sinto

há tempos
as lágrimas
do desamor
secaram

o que restou
foi
apenas
poeira
poesia do passado

há tempos
nós
viraram
laços
e forcas

e o que era
há tempos
deixou de ser