21 de ago de 2015

CINZAS TUAS

cinzas
cinzas
tuas
voando
num vento
sem rumo

cinzas
cinzas
tuas
antes impregnadas
em mim
agora
livre
de tudo
que o prendia

cinzas
cinzas
tuas
junto
com teus poemas
rasgados

histórias
que se foram
e nunca foram contadas
cinzas
tuas
agora no vento
eternas
nestes ventos
que ventam sem rumo