15 de fev de 2015

VIDA TARDIA


quantos sonhos morrem todos os dias...
quantos abraços se desfazem...
quantos nós desatam...
laços que se soltam...
bocas que se calam...
quantos corações cansados deixam de bater...
quantas dores castigam...
quantos bebem até que seus problemas desapareçam...
quantas bocas famintas...
quantos amores estraçalhados...
quanto silêncio...
quando rompimentos...
separação...
lágrimas...
dores...
soluços...
quantos enfermos...
quantos suicídas...
quanto desprezo...
quantas voltas e o relógio não para
e o amanhã sempre vem e quantos morrem indigentes...
quantos desaparecem...
quantos rostos deformados...
 e mães... filhos... ventos...
quantas expectativas de amores tardios...
e a vida escorrendo pelo ralo...
e o tempo indo embora...
as horas tardias...
apenas se quer vida...
sobrevida...
um pouco de alegria...