15 de fev de 2015

VENTANIA


foi ela que me pegou.
foi ela que me jogou na cama e abusou de mim.
a fome era dela, não minha.
 fui escravo, capacho.
ela mordia meu peito.
tinha pressa. era ventania.
não importava se o mundo soubesse.
não importava onde estava.
foi ela que me pegou e me virou do avesso.
rasgou minhas calça e me fez seu desejo.
me deu os seios, teu sexo.
me usou e depois vomitou incoerências.
foi ela que se desfez como se desfaz o vento.
foi ela que sumiu.
fez o queria fazer.
por desejo, pelo seu prazer.
até hoje não sei seu nome.
talvez tenha esquecido.
ainda guardo memórias daquele dia.
foi ela.
ela que me usou.
abusou de mim, depois me cuspiu como catarro.
foi embora.
partiu e nunca mais olhou pra trás.
nem eu.