10 de fev de 2015

VAI


rasgue
as cartas
que escrevi
as poesias
que dedilhei
esqueça
os beijos
as mordidas
as palavras
proferidas
rasgue
as roupas
que eu te dei
cuspa
a água
que bebeu
se desfaça
vá embora
abre a porta
a janela
evapore
teu perfume
não deixe
nada do que é seu
retire
de mim
as cicatrizes
as marcas
de batom
leve os punhais
as espadas
e teus escudos
vai
e leva a saudade