1 de fev de 2015

MARGINAL




Eu sou marginal
Discordo de tudo o que vejo
De tudo o que leio
De tudo o que sinto
Discordo
Da vida
Das utopias
Eu sou marginal
Ando por ai
Escorado
Em sonhos
Ando por ai
Querendo viver
Amores
E amores
São lixos podres
Jogados
Nos aterros
Sou marginal
Incompreensível
Armado
De más intenções
E uma caneta
Sou feito das minhas sombras
E de todos meus escopos
Nada me seduz
Nada mais me engana