7 de fev de 2015

JÁ NÃO CABE



não cabe
mais em nós
nenhuma
pressa
podemos
ficar
entre olhares
até que a madrugada
nos derrube
podemos
ir por ai
à toa
bebendo vinho
beijando
na boca

não cabe
mais em nós
vergonha
alguma
podemos
ficar nus
quando quisermos
sem precisar
fingir
encantos
nem orgasmos
nem precisamos
mais mentir
desventuras

não cabe mais
em nós
a morte
viveremos
em nós
mesmo depois
do fim de tudo