5 de fev de 2015

INSTANTES




Por um instante
Por um momento
Te ter
Derrepente
Num dia quem sabe
Escrever
Nas tuas coxas
Desenhadas
Dedilhar
Cada traço
Do teu pecado
Sentir
Teu coração
Pulsando
Em minhas mãos
E te soltar
Livre
Queria
Quem sabe um dia
Te ver
Nas noites
De loucuras
Onde nosso silêncio
Se faz majestade
E cúmplice
Desse nosso encontro
De amor ou sei lá o que