7 de fev de 2015

EM BREVE CHEGARÁ A MORTE


logo
vem a morte
que sorte tenho eu
tudo
de mim
se perderá
deixarei
de viver
de sentir
ficarão apenas
as cinzas
do que não fui
as cinzas
vermelhas
dos meus olhos
vermelhos
minhas mãos
não doeram
mais
os remédios
de vida
ficarão
no espelho
do banheiro
a gilete usada
a navalha
logo chegara
a morte
e nada de mim mais
restara
não haverá mais dor
alguma
somente as páginas
em branco
que nunca mais
hei de escrever