15 de fev de 2015

DON JUAN


Não interessa o corpo, a exuberância, a beleza.
Me interessa a essência.
Os bons fluídos.
Como se naquele momento eu me alimentasse das energias.
Como um vampiro.
Não me importava se depois viesse o vazio.
A solidão.
Importava-me o momento, o sentir.
Queria despertar sentimentos, sensações.
Era isso que eu queria.
Era isso que me dava prazer.
Era disso que eu me alimentava.
Os beijos deveriam ser intensos.
As carícias deviam fazer rasgar as roupas.
Não queria o nu. Queria insinuações.
Provocações.
Queria me sentir querido, desejado.
Não me importava com possíveis dores.
Com meu sofrer talvez. Com marcas.
Quantos seios flácidos vi.
Quantas tentativas vãs de sedução. Sexos expostos.
Eu ali inerte. Sem sentido.
Eu me alimentava de fluídos. Da energia do momento.
Das necessidades inconsciente do amanhã.
Queria todas as sensações.
Das mulheres queria sua alma. Como um demônio.
Queria seus amores. Queria suas poesias.