13 de fev de 2015

AMANHECER


amanheço
como florescem
as flores
sem esperanças
cheia
de perfumes
enclausuradas
de amores

amanheço
como
animais
enjaulados
cheios de tédio
famintos
de uma vida
que não acontece

amanheço
como
tantos indigentes
que perambulam
em busca
do mesmo lixo
desta hipócrita vida
de desesperanças

amanheço
como
tantos