16 de jan de 2015

VEM MORTE



Vem morte
Leva-me daqui
Tira de mim este peso
Esta minha inércia
Este meu fardo
Vem morte
Veste-me o corpo
Com tuas asas
Liberta-me destas minhas confusões
Tão desnecessárias
Vem morte
Como um anjo e me guia
Pelas tuas estradas
Tão cheias das raras belezas
Que imagino
Meus caminhos já estão perdidos
Nem uma dor e doi mais
Nenhum amor mais me condena
Vem morte
Acalma este meu peito
Devolve-me
A paz
Arranca estas farpas
Estes espinhos
Dê tuas asas
Faz-me voar pela imensidão
Dos teus vales sombrios